07 fev // 2013

DESPEITADOS

As coisas não devem estar lá muito boas para o pessoal da Gillette. E minha suspeita se fundamenta única e exclusivamente nas últimas – e péssimas – campanhas da marca pregando uma espécie de ditadura dos pelos, na qual homens com peitos peludos passaram a ser rotulados como primitivos ou até repulsivos numa aparente tentativa de vender mais barbeadores porque fazer a barba já não seria mais suficiente. A prova está no último filme veiculado pela marca nas redes sociais.

Nele, Sabrina Sato e as gêmeas do nado sincronizado, Bia e Branca (aquelas que surgiram em 2007, lembra?), travam um diálogo forçado numa praia (em espreguiçadeiras de madeira, diga-se de passagem) demonstrando nojo (“Eca!”, solta uma das gêmeas) por homens peludos que estão ao redor. Então, as meninas têm a “brilhante” ideia de desafiar os machos com o bordão “Quero ver rasparrrr!” (com direito a “r” arrastado no sotaque “sabrinístico”) e ligam para – segundo elas – um amigo “style, que esteja fazendo sucesso com a mulherada e tenha o peito liso, é claro”. Quem seria? Psy, o rapper coreano (logo, dificilmente deve ter raspado o peito, né?) que emplacou o sucesso “Gangnam Style” (entenderam? “Stlyle”… “Gangnam Style”… “Oppan gangnam style”… “Quero ver raspar”… hein? Hein?).

Pra terminar tão mal quanto começou, o vídeo ainda mostra as beldades dizendo: “Pra me beijar, pra me abraçar e pra me pegar… quero ver raspar!” (se quiser, assista ao vídeo AQUI por sua própria conta e risco).

A campanha já seria uma merda se fosse superficial e baratinha, mas não é. Além de ter custado os olhos da cara (quanto dinheiro jogado fora!), passa uma vergonha alheia descomunal! E olha que nem tô falando da desastrada foto de divulgação que o pessoal do “Te Dou Um Dado” postou…

Cordinha do o.b. pra fora. Mais ou menos nojento que pelos?

Falo principalmente do constrangimento de testemunhar uma marca mundialmente conhecida tentando impor um padrão estético em pleno século XXI. É praticamente a contramão de onde uma sociedade mais evoluída tem de ir.

E se você acha que tudo isso não passa de exagero, é só uma brincadeira ou uma campanha boba, imagine como seria a repercussão de um comercial de bronzeador ou de um xampu que alegassem ser nojentos (com “Eca!” e tudo) gente “bronzeada” ou de cabelo crespo. Pois é.

Mulheres sentem isso na pele diariamente, obesos também e, antes que me acusem, também legislo em causa própria aqui! Afinal, tenho pelos no peito. E não conheço uma dama que não goste de homem com cara de homem. Mesmo nessa era quando tentam me convencer que o Neymar é o macho alfa padrão.

O bom e velho Away, pelo visto, concorda comigo nessa “resposta” para a Gillette. Assistam porque é engraçadíssimo…

“Style”? Não passou nem raspando, Gillette.

comente:

agora você pode navegar no kibe usando seu teclado!

pressione ESC para fechar